Quem sou eu

Minha foto
São Paulo, São Paulo, Brazil
BIOMEDICA ACUPUNTURISTA. Biomédica pela UMC 1987. Lato Sensu em Medicina Tradicional Chinesa e Acupuntura - ETOSP. Especializações: Saúde Pública - São Camilo e Medicina Tradicional Chinesa e Acupuntura - ETOSP. Experiências: Análises Clínicas, aulas no curso técnico de Patologia Clínica (Hematologia, Parasitologia, Imunologia, Microbiologia, Fundamentos da Patologia, Biologia, Programas de Saúde, Anatomia e Fisiologia Humanas). Assessora Científica. Artigos no Jornal Centro em Foco (http://www.jornalcentroemfoco.com.br/vivasaude.html). Redação da coluna “Dicas de Saúde” para o jornal norte americano “BR POINT”. Palestras sobre temas de saúde e Acupuntura. Atualmente atuo como BIOMÉDICA ACUPUNTURISTA em consultório particular onde viso o tratamento do individuo integralmente. Utilizo acupuntura sistêmica, LASER-acupuntura, moxa, eletro-acupuntura, ventosa e florais. Sou Professora de Micro e Imunologia no curso técnico em Massoterapia e do curso Lato Sensu de Acupuntura e MTC da ETOSP. Coordenadora do ambulatório de LASER ACUPUNTURA da ETOSP - Escola de terapias Orientais de SP

sábado, 27 de março de 2010

CÂNCER DE COLO UTERINO: PREVINA-SE!

Esta matéria é de leitura obrigatória à toda mulher que tem auto estima e também a todo homem que ama uma mulher, seja sua companheira, filha, mãe... Mulheres maduras, mulheres jovens, com filhos pequenos e mesmo as que ainda nem chegaram a ter filhos: todas estão sujeitas a desenvolver esta grave doença.

O CÂNCER DE COLO UTERINO MATA?

O câncer de colo uterino pode matar, e mata se não for diagnosticado a tempo e tratado corretamente.
Para explicarmos esta doença, vamos inicialmente aprender um pouquinho de anatomia feminina.

O QUE É COLO UTERINO?

O colo uterino, chamado cérvice, é parte do útero. O útero tem a forma semelhante à uma pêra de cabeça para baixo. O útero é composto por:
- corpo, que se expande durante a gravidez para abrigar o futuro bebê.
- colo, que se abre na cavidade vaginal.
O colo tem um canal central, de diâmetro aproximado ao grafite de um lápis, que é chamado canal endocervical. Por ele há o escoamento de sangue durante o período menstrual.

OBSERVE A FIGURA



O colo uterino, composto por células musculares e vasos sangüíneos, é revestido por delicada camada de células chamadas epitélio. Este epitélio é revestido, tornando-se mais úmido e mais resistente. É chamado epitélio escamoso. Já o canal endocervical encontra-se revestido de pequeninas glândulas, este revestimento chama-se epitélio glandular. A região localizada entre estes dois epitélios (o escamoso e o glandular) é chamada zona de transformação.

CÂNCER DE COLO UTERINO

Como qualquer outra parte do corpo, o colo uterino (cérvice) pode vir a desenvolver câncer. Aparentemente, no colo uterino, as células mais vulneráveis aos estímulos cancerígenos, são as da zona de transformação.

DISPLASIA

A princípio, uma pequena quantidade de células anormais são observadas no epitélio (tecido de revestimento). Com o tempo, mais células vão se tornando anormais, passam a ocupar a maior parte do colo uterino e depois, invadem órgãos próximos. Quando estas células anormais (displásicas) estão apenas nas camadas mais profundas do colo uterino, dizemos que há uma displasia leve (de pouca gravidade). Quando estas células anormais atingem maior número de camadas de células do tecido, chamamos de displasia moderada. Caso tenha atingido todas as células, há a displasia grave.

DISPLASIA NÃO É CÂNCER

A displasia é a alteração na forma das células, não é câncer, mas lembramos que todo câncer de colo uterino (câncer cervical) passa primeiro por um período de displasia. Se a displasia for de maior gravidade, após algum tempo as células vão transpor esta região e se tornarão malignas, estágio este que caracterizará o câncer verdadeiro.

O CÂNCER VERDADEIRO

Com o passar do tempo, as células anormais acabam se espalhando por todo o colo uterino. Se não houver tratamento, o câncer atingirá todo o útero e também áreas vizinhas, podendo alcançar bexiga, intestinos...

QUANTO TEMPO LEVARÁ PARA OCORREREM ESTAS ALTERAÇÕES?

A trajetória da evolução desta doença é longa. Os estágios pré-cancerosos, de menor gravidade, passam para as formas mais agressivas e, por fim, configura-se o câncer verdadeiro.

QUAL A IMPORTÂNCIA DA FASE PRÉ-CANCEROSA?

Esta fase é FUNDAMENTAL! Descobrindo-se o processo nesta fase, o tratamento é mais simples, pois as células ainda estão limitadas no colo uterino, não comprometendo outras partes do organismo.

EXISTE GRUPO DE RISCO?

Não temos como saber quem desenvolverá o câncer de colo uterino, mas há diferenças (fatores de risco) entre as mulheres que apresentam lesões pré-cancerosas e as sadias. A diferença fundamental é a infecção pelo vírus causador do condiloma genital (verruga genital), o HPV – vírus do papiloma humano.. Então, como o HPV é sexualmente transmissível, é quase certo dizer que o câncer de colo uterino é sexualmente transmissível.

FATORES DE RISCO:

*Hormônios: As mulheres passam por diversos períodos de alterações hormonais, como o início da puberdade e a gestação. Nestes períodos a zona de transformação do colo uterino é mais vulnerável à ação do HPV.
*Fumo: Mulheres fumantes têm aproximadamente 8 vezes mais chances de desenvolver câncer de colo uterino do que as não fumantes, pois o cigarro possui substâncias químicas cancerígenas, que chegam dos pulmões ao útero através da corrente sangüínea.
*Pílula anticoncepcional: Após muitos anos de uso da pílula (5 ou 10 anos) há maior probabilidade de desenvolvimento de displasias (alterações celulares). Mas, se você vai ao ginecologista uma vez ao ano, não há porque se preocupar.
*Maior número de parceiros sexuais: Quanto maior o número de parceiros sexuais, maior a probabilidade de se contaminar pelo HPV.
*Condição sócio-econômica: As mulheres que têm menos acesso ao atendimento de saúde correm grande risco de não ter o diagnóstico em tempo de cura.

EXISTE OUTRO TIPO DE CANCER UTERINO, ALÉM DO CAUSADO PELO HPV?

Sim, o adenocarcinoma da cérvice, porém não sabemos o que causa esta espécie de câncer. Mais um motivo para fazer o exame preventivo regularmente.

DIAGNÓSTICO PRECOCE

Como já sabemos, as alterações começam aos poucos, se intensificam, e muito depois é que se instala o câncer. Portanto, realizando periodicamente o exame preventivo, caso haja a presença de células alteradas (displásicas), o tratamento é realizado ANTES que o câncer se instale. A displasia não é problema, o grande problema é deixá-la evoluir, aumentando assim a chance de desenvolver esta doença.

EXAME PREVENTIVO

O exame colpocitológico, conhecido por muito tempo pelo nome de Papanicolaou, é muito simples:
São colhidas por raspagem algumas das células da superfície do colo uterino com uma espátula. As células são transferidas para uma lâmina de vidro que será analisada ao microscópio. Infelizmente este exame não é 100% seguro, por isso deve ser repetido anualmente. Devemos lembrar que a finalidade do exame é a de descobrir a doença na fase assintomática, pré-cancerosa, antes de se transformar em lesão cancerosa.

LEMBRE-SE

Se todas as mulheres se submeterem com regularidade ao exame preventivo, é provável que nenhuma venha a desenvolver câncer verdadeiro. Quanto mais precoce o diagnóstico, maior a probabilidade de cura.
Vá ao ginecologista uma vez ao ano.

Um comentário:

  1. obrigada,esse documentario foi de muita utilidde

    ResponderExcluir