Quem sou eu

Minha foto
São Paulo, São Paulo, Brazil
BIOMEDICA ACUPUNTURISTA. Biomédica pela UMC 1987. Lato Sensu em Medicina Tradicional Chinesa e Acupuntura - ETOSP. Especializações: Saúde Pública - São Camilo e Medicina Tradicional Chinesa e Acupuntura - ETOSP. Experiências: Análises Clínicas, aulas no curso técnico de Patologia Clínica (Hematologia, Parasitologia, Imunologia, Microbiologia, Fundamentos da Patologia, Biologia, Programas de Saúde, Anatomia e Fisiologia Humanas). Assessora Científica. Artigos no Jornal Centro em Foco (http://www.jornalcentroemfoco.com.br/vivasaude.html). Redação da coluna “Dicas de Saúde” para o jornal norte americano “BR POINT”. Palestras sobre temas de saúde e Acupuntura. Atualmente atuo como BIOMÉDICA ACUPUNTURISTA em consultório particular onde viso o tratamento do individuo integralmente. Utilizo acupuntura sistêmica, LASER-acupuntura, moxa, eletro-acupuntura, ventosa e florais. Sou Professora de Micro e Imunologia no curso técnico em Massoterapia e do curso Lato Sensu de Acupuntura e MTC da ETOSP. Coordenadora do ambulatório de LASER ACUPUNTURA da ETOSP - Escola de terapias Orientais de SP

sexta-feira, 29 de maio de 2009

POR QUE DEVEMOS COMER FIBRAS?




Por que devemos comer fibras, se elas não são digeridas nem absorvidas pelo nosso organismo?

A fibra alimentar é o material da parede da célula vegetal que não pode ser digerida pelas secreções gastrointestinais e enzimas do ser humano.
Ela é fundamental em uma alimentação saudável e equilibrada.
Além da enorme vantagem de não possuírem valor calórico ou energético (não engordam), as fibras dificultam a absorção dos açúcares dos alimentos, reduzindo a glicemia pós-alimentar.

Dietas pobres em fibras provocam constipação (intestino preso) e pior ainda, observações epidemiológicas e clínicas têm relacionado sua deficiência à ocorrência de certas enfermidades como doença cardiovascular, câncer de cólon, diabetes...

Os mecanismos pelos quais as fibras insolúveis exercem seus efeitos são simples. Como elas não são digeridas e nem absorvidas pelo organismo, elas aumentam a quantidade de resíduos no intestino, o que aumenta o bolo fecal; como essas fibras têm a capacidade de absorver água, as fezes ficam mais macias e a movimentação intestinal fica facilitada.
Seu uso promove a redução dos níveis sangüíneos de carboidratos através do retardamento da absorção dos carboidratos, reduzindo a dose de insulina necessária para o controle nos diabéticos.
A fração solúvel atua principalmente na parte superior do trato gastro-intestinal, mais especificamente no estômago e no intestino delgado, onde ocorre a digestão e absorção dos nutrientes. A ação dessas fibras nesses dois órgãos promove vários efeitos, como o atraso do esvaziamento do estômago (promove saciedade = importante no tratamento da obesidade), atraso da absorção de nutrientes como a glicose (promove menor elevação da taxa de glicose no sangue = importante no tratamento do diabetes), aumento da excreção de ácidos biliares (promove menor absorção do colesterol = importante no tratamento de doenças cardiovasculares).


Benefícios das Fibras:

- Ajudam a prevenir prisão de ventre.
- Aliviam os sintomas de diverticulose e hemorróidas.
- Podem diminuir o risco de câncer do cólon.
- Contribuem no controle do peso.
- Retardam o esvaziamento gástrico.
- Aumentam o tempo de trânsito intestinal.
- Tornam mais lenta a absorção de glicose.
- Retardam a digestão do amido.
- Reduzem os níveis elevados de colesterol.
- Reduzem os níveis elevados de triglicérides.
- Promove a excreção normal da bile.
- Aumenta o volume fecal, melhorando o funcionamento do intestino.
- Aumento da sensibilidade do músculo à insulina.
- Aumento da sensação da saciedade.


Como aumentar a quantidade de fibras na alimentação diária:

- Coma frutas, verduras e leguminosas com toda casca e bagaço (inteiras). A fibra geralmente concentra-se na casca e camadas externas das frutas e legumes e pode ser perdida quando descascados. Mas providencie para que estejam bem lavadas.
- Dê preferência ao consumo de frutas e verduras cruas. A fibra, quando ingerida crua, desempenha melhor suas funções, pois após cozimento rompem sua estrutura, diminuindo os efeitos benéficos.
- No lanche da manhã prefira os cereais.
- Inicie sempre a refeição com uma salada.
- Na sobremesa, prefira uma fruta.
- Sirva verduras e legumes crus ou cozidos no vapor.
- Prefira comer as frutas em vez de beber seu suco.
- Consuma alimentos à base de grãos integrais.
- Ao selecionar alimentos, prefira os que possuem maior teor de fibras.
- Evite picar excessivamente as verduras ao prepará-las, permitindo que as fibras se mantenham intactas.

O aumento do consumo de fibras deve ser acompanhado de um maior consumo de líquidos, que ajudam a determinar a quantidade de fibra ideal para cada indivíduo.

Mas não vá comer fibras em excesso, pois terá inconvenientes como:

- Diarréia, distensão abdominal e problemas digestivos.
- Deficiência de ferro, zinco e outros minerais no organismo.
- Alguns alimentos ricos em fibra causam flatulência.


Alimentos que contém fibras:

As fibras estão contidas nos alimentos de origem vegetal (frutas, verduras e legumes) e deve representar a maior parte da nossa dieta.
Procure comer: banana, laranja, maçã, uva, pêra, frutas cítricas, morango, goiaba, batata, cenoura, repolho, sementes de gergelim, trigo, cereais, grãos integrais, leguminosas, favas, feijão, beterraba, berinjela, rabanete, cará, batata doce, inhame, leguminosas secas, abóbora, couve-flor, couve, brócolis, couve de Bruxelas, aveia, cevada, semente de linhaça, castanha do Pará, ervilhas frescas, espinafre, nabo, farelo de cereais, pão de grão integral, milho, hortaliças,...

Adotar bons hábitos alimentares é o início de um estilo de vida saudável.

SAL REFINADO X SAL MARINHO NATURAL



Mas o sal refinado não é marinho?

O sal refinado é "produzido" a partir do sal marinho. Entretanto lhe são extraídos diversos nutrientes e em contrapartida, são adicionados muitos aditivos químicos altamente prejudiciais à saúde.

Porque o sal refinado faz mal à saúde?

Devido ao seu elevado teor de sódio, o sal refinado favorece a pressão alta e a retenção de líquidos, o que não ocorre com o marinho.
Durante a industrialização, sal marinho passa por uma lavagem onde são perdidas as algas microscópicas que fixam o iodo natural, sendo necessário depois acrescentar iodo, que é então colocado sob a forma de iodeto de potássio, para prevenir o bócio. Porém, o iodeto geralmente é usado numa quantidade superior à quantidade normal de iodo do sal natural, predispondo o organismo a doenças da tireóide como nódulos, tumores e câncer.

Também são perdidos enxofre, bromo, magnésio, cálcio e outros minerais que representam excelente fonte de lucros para as industrias que extraem esses elementos do sal bruto.
Como os aditivos iodados oxidam rapidamente quando expostos à luz, é adicionado um estabilizante, a dextrose. Esta, combinada com o iodeto de potássio, produz no sal uma coloração roxa, então um alvejante é adicionado, o carbonato de sódio (que pode provocar cálculos renais e biliares).

No processo de lavagem também são eliminados componentes como o plâncton (nutriente), o krill (pequeno camarão invisível) e esqueletos de animais marinhos invisíveis.
Em pequenas quantidades, estes fatores fornecem importantes oligoelementos como cálcio natural, cobre, molibdênio e zinco.

No processo de industrialização do sal normalmente se faz uma lavagem a quente para clarear melhor o produto, perdendo-se aí a maior parte dos seus macro e micro elementos essenciais, a maior parte deles úteis na ativação de enzimas. A utilização do vácuo durante o processo auxilia também a perda de elementos.

Depois de empobrecido, o sal industrial recebe aditivos químicos.
Além do oxido de cálcio que evita que o sal se liquefaça (e favorece também o aparecimento de pedras nos rins e na vesícula biliar), o sal receberá também ferrocianato e prussiato amarelo de sódio, fosfato tricálcico de alumínio, silicato aluminado de sódio e agentes antiumectantes diversos.

Entre as perdas irreparáveis no sal refinado está o importante íon magnésio. A escassez de magnésio no sal refinado favorece também a formação de cálculos e arteriosclerose, além de arteriosclerose em diversas regiões do organismo quando o cálcio de origem não natural está presente, como é caso do sal industrializado.


Principais efeitos do sal refinado e doenças associadas:

Hipertensão arterial, edemas, eclampsia, arteriosclerose, cálculos renais e biliares, hipoplasia da tireóide, nódulos da tireóide...

Principais aditivos químicos do sal refinado:

Iodeto de potássio, óxido de cálcio, carbonato de cálcio, ferrocianeto de sódio, prussiato amarelo de sódio, fosfato tricálcico de alumínio, silicato aluminado de sódio, dextrose, talco mineral.


Quais as vantagens do sal marinho natural?

O sal marinho contém cerca de 84 elementos benéficos à saúde que são eliminados ou extraídos para a comercialização durante o processo industrial para a produção do sal refinado.
O sal marinho, não lavado, contém iodo de fácil assimilação e em quantidades ideais.
Não é necessário usar uma grande quantidade de sal marinho na dieta, pois o teor de sódio deste sal é menor que no refinado, que possui elevadas concentrações de sódio sob a forma de cloreto. Isto pode ser verificado provando-se os dois. O sal refinado produz uma sensação desagradável devido a sua concentração, ao passo que uma pedrinha de sal marinho é agradável ao paladar.


E se eu não encontrar no supermercado, como farei para obter o sal marinho?

Você pode comprar o sal marinho grosso (aquele usado em churrascos), bater no liqüidificador e depois passar por uma peneira.


O que pode significar na minha vida esta mudança alimentar?

Saúde: Melhor controle da pressão arterial, ingestão barata de minerais essenciais à saúde, além de evitar se “envenenar” com as maciças doses de aditivos usadas no sal refinado industrializado.

A princípio, parece um exagero lhe propor mais esta mudança na sua rotina de vida. Mas trata-se de um detalhe que pode mudar sua vida quando aliado a outras dicas saudáveis que mensalmente você tem o privilégio de receber como um presente do Jornal Centro em Foco.
Agora que você conhece os perigos do sal refinado industrializado, afaste este mal da sua vida.




HIPOTIREOIDISMO



Há pessoas que engordam muito de repente. Sentem fraqueza, desânimo e depressão: Pode ser hipotireoidismo.

O que é a tireóide ?

A tireóide (ou tiróide) é uma glândula localizada no pescoço que pesa cerca de 20 a 30 g. Ela produz os hormônios T3 e T4, que são responsáveis pelo processo de crescimento e metabolismo do corpo.


Hipotireoidismo

O hipotireoidismo, o mau funcionamento da tireóide, é caracterizado pela diminuição ou ausência da produção dos hormônios pela tireóide, acarretando sérias conseqüências no organismo.


Causas

São várias as possibilidades, sendo as mais comuns:
- Deficiência de iodo na alimentação (pois ele é matéria prima para a produção dos hormônios tireoideanos). Atualmente, como o sal é iodado, este tipo de hipotireoidismo é pouco comum.
- Tireoidite pós-parto, que é temporária, mas que pode ser evitada pelo controle dos hormônios da mulher durante a gestação, o que evitará futuramente o hipotireoidismo do recém nascido.
- Hipotireoidismo do recém nascido onde a criança nasce com a tireóide não funcionante.
- Tireoidites (inflamação da tireóide). Pode ter causa por bactérias, vírus e por auto-anticorpos (anticorpos produzidos pelo próprio organismo que atacam a própria tireóide), este tireoidite é conhecida como tireoidite de Hashimoto e é a mais comum.


Sinais e sintomas

Na criança:

No recém-nascido o hipotireoidismo congênito é causado por deficiência dos hormônios da mãe durante a gestação. A criança poderá apresentar choro rouco, falta de apetite e futuramente, atraso na maturação dos ossos e retardo mental. Para evitar esses problemas irreversíveis na criança, basta um bom pré natal, pois diagnosticando a deficiência hormonal na mãe, ela receberá a reposição hormonal beneficiando o bebê que nascerá sem esses problemas.

No adulto:

Mais comum nas mulheres que apresentam principalmente aumento de peso, inchaço nas pálpebras, falta de ar, nervosismo, fraqueza, maior sensibilidade ao frio, lentidão, prisão de ventre, queda de cabelos, inchaço do rosto e pernas (principalmente), palidez, demora no raciocínio, surdez, língua grossa, diminuição na freqüência dos batimentos cardíacos, aumento da pressão sangüínea, sonolência durante todo o dia, dificuldade de concentração, cãimbras musculares, fluxo menstrual intenso, bócio (aumento da tireóide), eliminação de leite nas mamas (neste último, é importantíssimo que se pesquise o estado da hipófise também, pois poderá haver associação com adenoma hipofisário).


Como é feito o diagnóstico

Se você possui alguns desses sintomas, procure um endocrinologista que, além de lhe fazer várias perguntas e examinar o seu estado físico geral, irá apalpar seu pescoço e verificar se a tireóide está aumentada. Também solicitará vários exames de sangue, principalmente T3 e T4, que são hormônios tireoideanos e estarão diminuídos, e também solicitará a dosagem de TSH (hormônio estimulante da tireóide), que é o hormônio que estimula a produção dos hormônios tireoideanos.


Tratamento

O tratamento é muito simples! Consiste apenas em um comprimido ao dia, em jejum, de hormônio sintético (T4) para repor o que a tireóide não está produzindo adequadamente. Mas apenas o médico é quem saberá a melhor e mais adequada dose que você precisa.

Lembre-se: O tratamento deverá ser continuado por toda a vida, com visitas periódicas ao endocrinologista para acompanhamento do seu estado físico e da dose mais adequada do hormônio a ser reposto.

ESPINHAS E CRAVOS... LIVRE-SE DA ACNE!



A acne é uma doença que se não for adequadamente tratada, pode deixar marcas físicas e psicológicas indesejáveis.
A acne é uma doença de natureza genética e hormonal. Geralmente inicia na puberdade manifestando-se, quase sempre, na face, pescoço, tórax, costas, ombros e mesmo na porção superior dos braços, áreas do corpo ricas em glândulas sebáceas.
“Acne” é um termo genérico utilizado para caracterizar lesões conhecidas como: comedo aberto, comedo fechado, cravos, espinhas, cistos e nódulos. Acomete principalmente os adolescentes (afetando cerca de 80% destes), mas pode ser encontrada em adultos na faixa dos 20 e 40 anos.
A acne é uma doença de predisposição genética e suas manifestações relacionam-se à presença dos hormônios sexuais. Por isso as lesões começam a surgir na puberdade, época em que estes hormônios começam a ser produzidos pelo organismo, atingindo a maioria dos jovens de ambos os sexos.
As manifestações da doença (cravos e espinhas) ocorrem devido ao aumento da produção de sebo pela glândula sebácea que acaba obstruindo seu canal de saída de secreção, dando origem aos comedões abertos (cravos pretos) e fechados (cravos brancos). Estas condições favorecem a proliferação de microorganismos que provocam a inflamação característica das espinhas.
Se estas áreas infectadas estiverem localizadas em uma área profunda da pele, elas podem aumentar e formar cistos. Um cisto sebáceo se forma quando a glândula sebácea continua produzindo óleo. Em vez de romper a parede do folículo, este continua a aumentar e forma um nódulo mole e flexível sob a pele. Em geral, o cisto não provoca dor nem descoloração, a não ser que se torne infectado.

CHOCOLATES CAUSAM ESPINHAS?

A acne não é causada pelo tipo de alimento que se ingere. Muitas pessoas crêem que a ingestão de alguns alimentos piora a acne, principalmente chocolate e alimentos gordurosos, mas não há comprovação científica para este fato. Dermatologistas têm diferentes opiniões a respeito da importância da dieta no controle da acne. Por isso, recomenda-se evitar somente aqueles alimentos que claramente pioram as lesões. A dieta nunca eliminará a acne completamente, nem será problema se um tratamento correto estiver sendo feito.


CAUSAS

A predisposição genética é importante, pois a pessoa já nasce com tendência a ter o problema.
O uso de alguns tipos de medicamentos, cremes e cosméticos inadequados ao paciente podem agravar ou estimular o processo.
A elevação de níveis hormonais durante a adolescência causa aumento das glândulas sebáceas da pele e as estimulam a produzir mais sebo que, em excesso, obstrui os poros. A obstrução é produzida pela acumulação, no interior do poro, de células descamadas, sebo e bactérias que formam, numa primeira fase, um ponto preto ou comedão. As bactérias do comedão agem sobre o sebo e inicia-se a resposta imunológica, tendo como resultado uma reação inflamatória e a formação de pus.
Na fase adulta, no caso das mulheres, o organismo pode produzir testosterona (hormônio masculino) demais, fazendo as glândulas sebáceas produziram mais óleo e, assim, acontecendo as erupções. Cistos ovarianos e alterações da glândula tireóide são as principais causas de produção excessiva de testosterona. Outras alterações hormonais, como as que ocorrem no período menstrual, na gestação, pelo uso de anticoncepcionais e pelo estresse também podem agravar a acne.


DIAGNÓSTICO

O diagnóstico é feito por exame médico de um dermatologista, e é baseado principalmente na aparência da pele. Normalmente não há necessidade de exames.


TRATAMENTO

O tratamento visa evitar a formação de novas lesões e auxiliar na cicatrização de lesões antigas.
Não use remédios indicados por pessoas leigas ou que tenham um quadro semelhante ao seu. Eles podem ser inadequados ao seu tipo de pele.
Há vários graus de acne que estão relacionados à gravidade do caso. O tratamento correto deve ser escolhido após detalhada avaliação médica, e sempre exigirá paciência e disciplina.
Pode ser feito em casa, com sabonetes para limpeza, loções ou géis tópicos para uso diário, nos casos mais leves. Os medicamentos tópicos secam a gordura e/ou promovem a escamação da pele.
Às vezes é necessário uso de remédios sistêmicos como antibióticos e/ou derivados da vitamina A. Seu efeito consiste em reduzir a quantidade de bactérias nos folículos. Alguns também apresentam efeito antiinflamatório, ajudando na diminuição da vermelhidão das lesões.
Poderão ser indicadas limpeza de pele ou esfoliações químicas ("peeling).
Um pouco de exposição ao sol pode melhorar a acne. Mas, não se recomenda a exposição excessiva aos raios solares ou aos raios ultravioleta, pois isso pode aumentar o risco de câncer de pele.
A cada dia, novas opções estão sendo disponibilizadas para o tratamento das lesões ativas e residuais da acne. Por isso, consulte o seu dermatologista e tire as suas dúvidas.

Nunca se devem espremer as lesões, exceto por pessoas habilitadas para tal, pois a pressão faz com que a inflamação se espalhe e as lesões piorem, aumentando a chance da pele ficar marcada.
A tendência a desenvolver acne é hereditária. Embora a acne não possa ser prevenida, a limpeza meticulosa pode ajudar a diminuir os efeitos. Lave a área afetada algumas vezes ao dia, com água morna e sabonete, utilize uma esponja limpa para evitar a reinfecção bacteriana. Suspenda as maquiagens oleosas e os produtos com iodo ou com álcool.
Procure descansar e dormir bem, pois o estresse é um dos aliados da acne.
A acne solar pode ser evitada com a utilização de filtros solares, de preferência aqueles em base não oleosa ("oil free"), aplicados antes e durante a exposição ao sol.
Homens que apresentam acne na face devem, ao se barbear, dar preferência a aparelhos elétricos ou outro instrumento que lhe cause menos danos. No caso de se optar por lâminas, devem-se primeiramente amaciar os pelos da barba através do uso de sabão e água morna antes de se aplicar o creme de barbear. Para evitar ferimentos sobre as espinhas, o ato de barbear-se deve ser realizado de forma suave. Barbear somente quando for necessário e sempre empregar lâminas bem afiadas é importante, caso não se opte por barbeadores elétricos.
Para disfarçar marcas ou resquícios da acne, utilize loções na tonalidade da pele ou pó facial "oil-free". Proteja seu rosto sempre que for aplicar gel ou spray de cabelo (fixadores). Caso esses tipos de produtos entrem em contato direto com a pele do seu rosto há possibilidades de se desenvolver um tipo especial de acne provocado pelo cosmético.

Na medicina tradicional Chinesa:

A acne tem um tratamento diferenciado.
Cada caso é tratado individualmente. Trata-se a pessoa e não a doença.
A estratégia utilizado é sedar o calor, secar a mucosidade, tirar o calor do sangue... Termos estranhos aos ocidentais, porém com resultados bastante satizfatórios.
Há pontos específicos utilizados com a aplicação de agulhas e também orientações alimentares.

Orientação alimentar:
Exclua alimentos gordurosos, frituras, leite e derivados,
Adicione frutas, coma verduras e legumes, evite alimentos industrializados.
Prefira a feira ao supermercado!

quinta-feira, 14 de maio de 2009

ANEMIA: previna-se!


Uma criança em crescimento pode ser comparada a um prédio em construção: são necessários diversos “materiais” para sua estrutura: ferro, tijolos, cimento, revestimentos... cada um na quantidade adequada. Ela necessita de proteínas, gorduras, vitaminas, minerais... e a fonte básica vem da alimentação. Por isso, o recomendável é sempre uma refeição com alimentos variados, visando suprir todas as necessidades do organismo em formação.

E é importante não esquecer que uma pessoa “fofinha” não é necessariamente saudável, ela também pode ter anemia.

GLOBULOS VERMELHOS (hemácias) com alterações de forma, tamanho e deficiência de hemoglobina ("cor").

GLÓBULOS VERMELHOS NORMAIS: possuem tamanho, forma e cor normais

O que é anemia?

Anemia é definida como a falta de glóbulos vermelhos no sangue e/ou de hemoglobina (pigmento vermelho que dá cor ao sangue).

São esses glóbulos que transportam oxigênio dos pulmões a todas as células do corpo, para ser utilizado na produção de energia, e trazem de volta o gás carbônico, que será ser eliminado pela respiração. Também transportam diversas outras substâncias.

Existem vários tipos de anemias, algumas muito graves, hereditárias; outras decorrem da falta de determinadas substâncias no organismo, como o ferro e a vitamina B12. O ferro é utilizado na construção do glóbulo vermelho, e quando ausente na alimentação deixa o organismo vulnerável à anemia ferropriva (por falta de ferro), levando a pessoa à fadiga, cansaço sem causa, falta de apetite, demora no raciocínio, notas baixas na escola, sonolência exagerada, palidez, desânimo.

Mas diante destes sintomas não se desespere, o problema é corrigível pela alimentação adequada.
É bom lembrar que uma visita regular ao médico é sempre aconselhável.


Previna-se!

Para prevenir e tratar a anemia ferropriva, devemos fornecer ao nosso organismo ferro na alimentação. São fontes de ferro: feijão, lentilha, gema de ovos, salsinha, espinafre, agrião. Devemos nos habituar a ter diariamente pelo menos um destes alimentos na refeição, de maneira alternada.
Existem alimentos infantis que são acrescidos de ferro na sua constituição. Mas não basta ter ferro no organismo, podemos apresentar anemia ferropriva mesmo ingerindo alimentos com boa quantidade dele.

Como isso pode acontecer?

Para que o ferro seja absorvido pelo organismo precisamos de vitamina C, ela é que faz a passagem do ferro do intestino para o sangue, se a pessoa come alimentos ricos em ferro, mas não em vitamina C, pode a anemia ferropriva.
A vitamina C está presente na acerola e nas frutas cítricas. Já a vitamina B12, assim como o ácido fólico, participa do glóbulo vermelho na sua divisão.
Se a pessoa não tem estes na sua dieta, poderá ter a quantidade de glóbulos vermelhos diminuída, e, conseqüentemente, anemia. A vitamina B12 e o acido fólico estão presentes em vegetais verdes.

A melhor prevenção da anemia (e de diversas outras doenças) é a alimentação adequada.


Será que aquele delicioso sanduíche é saudável?

Depende do que se usar como recheio.

É muito difícil mudar hábitos alimentares, principalmente deixar sanduíches, pizzas, refrigerantes, doces, chocolates... Mas também não é necessário se cruel consigo, mudanças radicais são dolorosas e pouco duradouras. Conscientize-se primeiro que existe o problema da alimentação inadequada e que isto é prejudicial à sua saúde e das pessoas que você ama. Vá mudando aos poucos os seus hábitos: à tarde, troque o sanduíche por uma fruta; no almoço, troque o refrigerante por um suco de frutas. Das pizzas, prefira as que contêm vegetais; no sanduíche, acrescente tomate, alface, salsinha, brócolis... Se você não gosta de vegetais, comece misturando um pouco deles nos seus pratos preferidos; se você gosta de ovos, faça uma omelete de legumes; acrescente espinafre no molho do macarrão... e aos poucos você irá notar grandes e boas mudanças na sua saúde, na sua aparência, no seu humor.

Tenha uma alimentação saudável.

Não devemos comer sempre a mesma coisa, devemos, sim, variar ao máximo nosso cardápio.

Coma proteínas, principalmente derivados de soja.

Das gorduras, prefira as de origem vegetal, pois não têm colesterol.

Para suprir suas necessidades de minerais e vitaminas, coma diariamente frutas, verduras e legumes.

Depois, lembre-se que uma alimentação saudável lhe fará viver mais e melhor!