Quem sou eu

Minha foto
São Paulo, São Paulo, Brazil
BIOMEDICA ACUPUNTURISTA. Biomédica pela UMC 1987. Lato Sensu em Medicina Tradicional Chinesa e Acupuntura - ETOSP. Especializações: Saúde Pública - São Camilo e Medicina Tradicional Chinesa e Acupuntura - ETOSP. Experiências: Análises Clínicas, aulas no curso técnico de Patologia Clínica (Hematologia, Parasitologia, Imunologia, Microbiologia, Fundamentos da Patologia, Biologia, Programas de Saúde, Anatomia e Fisiologia Humanas). Assessora Científica. Artigos no Jornal Centro em Foco (http://www.jornalcentroemfoco.com.br/vivasaude.html). Redação da coluna “Dicas de Saúde” para o jornal norte americano “BR POINT”. Palestras sobre temas de saúde e Acupuntura. Atualmente atuo como BIOMÉDICA ACUPUNTURISTA em consultório particular onde viso o tratamento do individuo integralmente. Utilizo acupuntura sistêmica, LASER-acupuntura, moxa, eletro-acupuntura, ventosa e florais. Sou Professora de Micro e Imunologia no curso técnico em Massoterapia e do curso Lato Sensu de Acupuntura e MTC da ETOSP. Coordenadora do ambulatório de LASER ACUPUNTURA da ETOSP - Escola de terapias Orientais de SP

sexta-feira, 29 de maio de 2009

HIPOTIREOIDISMO



Há pessoas que engordam muito de repente. Sentem fraqueza, desânimo e depressão: Pode ser hipotireoidismo.

O que é a tireóide ?

A tireóide (ou tiróide) é uma glândula localizada no pescoço que pesa cerca de 20 a 30 g. Ela produz os hormônios T3 e T4, que são responsáveis pelo processo de crescimento e metabolismo do corpo.


Hipotireoidismo

O hipotireoidismo, o mau funcionamento da tireóide, é caracterizado pela diminuição ou ausência da produção dos hormônios pela tireóide, acarretando sérias conseqüências no organismo.


Causas

São várias as possibilidades, sendo as mais comuns:
- Deficiência de iodo na alimentação (pois ele é matéria prima para a produção dos hormônios tireoideanos). Atualmente, como o sal é iodado, este tipo de hipotireoidismo é pouco comum.
- Tireoidite pós-parto, que é temporária, mas que pode ser evitada pelo controle dos hormônios da mulher durante a gestação, o que evitará futuramente o hipotireoidismo do recém nascido.
- Hipotireoidismo do recém nascido onde a criança nasce com a tireóide não funcionante.
- Tireoidites (inflamação da tireóide). Pode ter causa por bactérias, vírus e por auto-anticorpos (anticorpos produzidos pelo próprio organismo que atacam a própria tireóide), este tireoidite é conhecida como tireoidite de Hashimoto e é a mais comum.


Sinais e sintomas

Na criança:

No recém-nascido o hipotireoidismo congênito é causado por deficiência dos hormônios da mãe durante a gestação. A criança poderá apresentar choro rouco, falta de apetite e futuramente, atraso na maturação dos ossos e retardo mental. Para evitar esses problemas irreversíveis na criança, basta um bom pré natal, pois diagnosticando a deficiência hormonal na mãe, ela receberá a reposição hormonal beneficiando o bebê que nascerá sem esses problemas.

No adulto:

Mais comum nas mulheres que apresentam principalmente aumento de peso, inchaço nas pálpebras, falta de ar, nervosismo, fraqueza, maior sensibilidade ao frio, lentidão, prisão de ventre, queda de cabelos, inchaço do rosto e pernas (principalmente), palidez, demora no raciocínio, surdez, língua grossa, diminuição na freqüência dos batimentos cardíacos, aumento da pressão sangüínea, sonolência durante todo o dia, dificuldade de concentração, cãimbras musculares, fluxo menstrual intenso, bócio (aumento da tireóide), eliminação de leite nas mamas (neste último, é importantíssimo que se pesquise o estado da hipófise também, pois poderá haver associação com adenoma hipofisário).


Como é feito o diagnóstico

Se você possui alguns desses sintomas, procure um endocrinologista que, além de lhe fazer várias perguntas e examinar o seu estado físico geral, irá apalpar seu pescoço e verificar se a tireóide está aumentada. Também solicitará vários exames de sangue, principalmente T3 e T4, que são hormônios tireoideanos e estarão diminuídos, e também solicitará a dosagem de TSH (hormônio estimulante da tireóide), que é o hormônio que estimula a produção dos hormônios tireoideanos.


Tratamento

O tratamento é muito simples! Consiste apenas em um comprimido ao dia, em jejum, de hormônio sintético (T4) para repor o que a tireóide não está produzindo adequadamente. Mas apenas o médico é quem saberá a melhor e mais adequada dose que você precisa.

Lembre-se: O tratamento deverá ser continuado por toda a vida, com visitas periódicas ao endocrinologista para acompanhamento do seu estado físico e da dose mais adequada do hormônio a ser reposto.

Um comentário:

  1. Essa condição de tomar remédio o resto da vida é bem desconfortante. A acupuntura pode auxiliar no tratamento estimulando a tireóide. Acho que se tivesse que escolher tomar o remédio e estimular a glândula , aprenderia a técnica e faria em casa a aplicação das agulhas.
    Não gosto de nada sintético no meu corpo

    ResponderExcluir